Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Viva Paracatu
Início do conteúdo da página

Viva Paracatu (2010 - 2017)

Publicado em Sexta, 17 de Abril de 2015, 00h00

 

Sobre o projeto

Em atendimento à solicitação da Prefeitura Municipal de Paracatu-MG (PMP), o CETEM/MCTI coordenou ações para a formação de uma equipe de pesquisadores com alto reconhecimento no meio científico e apresentou, em 2010, uma proposta de trabalho para a “Avaliação da Contaminação Ambiental por Arsênio e Estudo Epidemiológico da Exposição Ambiental Associada em Populações Humanas de Paracatu-MG”. Os pesquisadores foram convidados em função de suas especialidades em toxicologia ambiental, epidemiologia, toxicologia clínica, medicina ambiental, química ambiental, geoquímica ambiental, avaliação de riscos à saúde humana e ao meio ambiente, entre outros. O principal objetivo deste projeto foi realizar uma avaliação da contaminação ambiental por arsênio e um estudo epidemiológico da exposição ambiental associada em populações humanas no município.

Os estudos tiveram início em março de 2011 (com a liberação da primeira parcela dos recursos) e finalização em dezembro de 2013. Cinco Relatórios Parciais foram entregues à Prefeitura Municipal de Paracatu (em setembro de 2011, em julho de 2012, em dezembro de 2012, em março de 2013 - Relatório de Andamento do Projeto- e em junho de 2013). O Relatório Final foi apresentado em dezembro de 2013 e, após revisão, foi apresentado em Audiência Pública na Câmara de Vereadores do Município em 18 de março de 2014.

O estudo foi realizado por um grupo de pesquisadores multidisciplinares, vinculados a seis instituições públicas de pesquisa, sendo uma ligada ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI: CETEM; duas ligadas ao Ministério da Educação – MEC: Programa de Pós-Graduação em Geoquímica Ambiental da Universidade Federal Fluminense - UFF e Centro de Desenvolvimento Sustentável, da Universidade de Brasília – UnB; duas ligadas ao Ministério de Saúde – MS:  Instituto Evandro Chagas – IE, Escola Nacional de Saúde Pública – ENSP da FIOCRUZ; e uma ao estado de São Paulo, a Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas - UNICAMP, além da Faculdade Tecsoma, de Paracatu. Contou ainda com a participaçãode duas instituições locais: as secretarias municipais de Saúde e de Meio Ambiente.

Objetivos

O principal objetivo deste projeto foi realizar uma avaliação da contaminação ambiental por arsênio e um estudo epidemiológico da exposição ambiental associada em populações humanas no município. Para tanto, as atividades foram executadas conforme o Plano de Ação adotado, tendo sido realizadas basicamente em três fases.

A primeira fase incluiu:
(i)  a caracterização dos níveis de arsênio nos compartimentos ambientais (água de abastecimento público, água superficial, água subterrânea, sedimento de fundo, solo e material particulado na atmosfera),
(ii)  um levantamento de dados de mortalidade por câncer na população de Paracatu, com ênfase naqueles que tem comprovada associação com exposição ambiental/ocupacional ao arsênio (e comparação com as taxas observadas em outros municípios, regiões e no país);
(iii)  e análise do banco de dados municipal sobre tratamento fora do domicílio, ênfase em casos de câncer.   

Os resultados subsidiaram o planejamento estratégico do estudo epidemiológico e de avaliação da exposição humana. Adicionalmente, foi realizado o estudo de análise de redes sociais, como base para a comunicação dos resultados. 

A segunda fase diz respeito ao estudo epidemiológico e à avaliação da exposição humana ao arsênio, incluindo a investigação de casos de dermatopatias referidas nos PSFs em Paracatu.

A terceira fase está relacionada ao retorno dos resultados à população local e à apresentação dos estudos em foruns científicos e de publicações em revistas especializadas.

Equipe técnica

COORDENAÇÃO GERAL - MCTI/CETEM

Zuleica C. Castilhos, D.Sc. - Geoquímica e Toxicologia Ambiental

Coordenação Geral CETEM

  • Silvia Egler, M.Sc. – Bióloga ⇒ Avaliação da contaminação de solos por Arsênio  
  • Luiz Carlos Bertolino, D.Sc. – Geólogo ⇒ Análises mineralógicas de solos e sedimentos
  • Adão B. da Luz, D.Sc. – Engenheiro de Minas ⇒ Consultor de tratamento de minérios, para análise dos minerais provenientes da extração, beneficiamento e metalurgia do ouro
  • Lílian Irene Dias da Silva – M.Sc. em Físico-Química ⇒ Análises de arsênio em material particulado na atmosfera e em material particulado de sistemas fluviais
  • Lillian Maria Borges Domingos – M.Sc; Química Industrial ⇒ Apoio logístico para o estudo epidemiológico e banco de dados
  • Manuel Carneiro – D.Sc. em Química Analítica do Meio Ambiente e Poluição ⇒ Análises de arsênio em material particulado da atmosfera
  • Maria Inês Monteiro – D.Sc. em Química Analítica Inorgânica ⇒ Análises de arsênio em material particulado da atmosfera
  • Patrícia Araújo - Técnica em Química ⇒ Análises químicas de contaminantes ambientais e acompanhamento das amostras de arsênio em amostras biológicas e ambientais
  • Ricardo Cesar, M.Sc. – Geógrafo ⇒ Trabalho de campo, coleta, preservação, transporte, preparo das amostras ambientais para análise de Arsênio e organização dos dados analíticos
  • Ricardo Sierpe - Geógrafo ⇒ Organização de dados primários e secundários em Sistemas de Informações Georreferenciadas
  • Vanessa Godoy - Geógrafa ⇒ Organização de dados primários de teores de arsênio em amostras biológicas humanas em Sistemas de Informações Georreferenciadas 
  • Aline Lessa – Bolsista PIBIC de Engenharia Ambiental ⇒ Participante da equipe de Avaliação de Risco à Saúde Humana por exposição ao arsênio 
  • Gabriela Felix - Bolsista PIBIC de Engenharia Ambiental ⇒ Participante da equipe de Avaliação de Risco à Saúde Humana por exposição ao arsênio 
  • Yasmini Dopico - Bolsista PIBIC de Engenharia Ambiental ⇒ Participante da equipe de Avaliação de Risco à Saúde Humana por exposição ao arsênio 
  • Danielle Gomes – Secretária: Graduanda de Serviço Social ⇒ Auxiliar na organização dos dados

MEC/UFF - Departamento de Geoquímica/Programa de Pós-Graduação em Geociências (Geoquímica) (PPGG)

  • Edison D. Bidone, PhD - Especialista em Geoquímica Ambiental ⇒ Orientação e interpretação de dados de contaminantes em águas superficiais e sedimentos fluviais e dos fluxos dos contaminantes entre bacias Hidrográficas.
  • Sambasiva Rao, PhD - Especialista em Geoquímica Ambiental ⇒ Avaliação de especiação de arsênio em águas subterrâneas e comportamento biogeoquímico do arsênio.
  • William Zamboni de Mello – PhD – Especialista em Geoquímica Ambiental ⇒ Avaliação de teores de arsênio em material particulado na atmosfera.
  • Maria Carla Barreto- M.Sc. Geógrafa/ Doutorando da Geoquímica Ambiental ⇒ Avaliação de teores de arsênio em águas superficiais, sedimentos e solos. Orientada pelo Prof. Dr. Edison Bidone
  • Marcos Ferreira, M.Sc. – Químico/ Doutorando da Geoquímica da UFF ⇒ Avaliação de especiação de arsênio em águas subterrâneas e comportamento biogeoquímico do arsênio. Orientado pelo Prof. Dr. Sambasiva Rao.
  • Janaína de Assis Matos – Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Geociências (Geoquímica) da UFF Avaliação de teores de arsênio em material particulado na atmosfera.Orientanda do Prof. Dr. William Zamboni de Mello.

MS/ FUNASA- Instituto Evandro Chagas

  • Elisabeth Conceição de Oliveira Santos, DSc – Virologista, Diretora do Instituto Evandro Chagas ⇒ Coordenadora da equipe responsável pela abordagem, orientação e interpretação de dados da saúde da população.
  • Iracina de Jesus, D.Sc. – Especialista em Vigilância em Saúde Ambiental do Instituto Evandro Chagas ⇒ Epidemiologista, participante da equipe responsável pela abordagem,orientação e interpretação de dados da saúde da população.
  • Kleber Faial – M.Sc. em Química Analítica ⇒ Treinamento para coleta, preservação e transporte de amostras biológicas de população humana.
  • Kelson Faial – M.Sc. em Química Analítica ⇒ Análises de arsênio em material biológico
  • Marcelo Lima – D.Sc. em Química ⇒ Integração dos dados de arsênio e em matrizes abióticas e bióticas, aplicação de questionário epidemiológico.
  • Renato Medeiros – M.Sc. em Biologia de Agentes Parasitários e Infecciosos ⇒ Logística para coletas biológicas e análises de arsênio em material biológico.

FIOCRUZ - ENSP

  • Aldo Pacheco – D.Sc. em Engenharia Biomédica ⇒ Avaliação de mortalidade e estatísticas gerais, aplicação de questionários epidemiológicos;

FCM/UNICAMP

  • Eduardo Mello se Capitani, D.Sc. – Médico, Pneumologista, Especialista em Saúde Coletiva ⇒ Delineamento de estratégia epidemiológica, interpretação e integração de dados de saúde e de exposição ambiental; aplicação de questionário epidemiológico.

CDS/UnB

  • Renata Távora, M.Sc.⇒ Análise de redes sociais para estratégia de retorno de resultados às partes interessadas;
  • Frédéric Mertens, PhD ⇒ Análise de redes sociais para estratégia de retorno de resultados às partes interessadas.

IAL/SP- Núcleo de Contaminantes Inorganicos do Instituto Adolfo Lutz

  • Luciana Arauz - Doutora em Química, Mestre em Ciências Biológicas e Doutora em Tecnologia Bioquímico-farmacêutica
  • Lidiane Mataveli – Bióloga, Mestre em Ciências Farmacêuticas e Doutora em Ciências com ênfase em Química Analítica

Alunos de Graduação UnB

  • Juliana Ferreira de Assis
  • Lucas Vieira da Silva
  • Marcela Dupont Britto
  • Marina Cazilda de Moura Alves
  • Sheila Lopes da Silva

TECSOMA

  • Claudia Peres, M.Sc. – Coordenação do Curso de Biomedicina
  • Rosalba Cassuci, M.Sc. – Coordenação do Curso de Enfermagem

Alunos de Graduação TECSOMA

  • Nilda Gonçalves Aragão – Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Jéssica Moreira Silva- Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Bianca Pires da Silva– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Juliana Batista Alves– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Thaissa Monteiro de Barros– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Jaynne Correia Guimarães– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Camilla Carolina Campos Cambronio– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Thays Monteiro Costa– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Geisiane Pires da Silva– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Samira Ângela Rabelo– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA
  • Yara Marques Soares– Graduação Ciências da Saúde/TECSOMA

APOIO de INSTITUIÇÕES LOCAIS EM PARACATU

Prefeitura de Paracatu: Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Secretaria Municipal de Saúde - POSTO DE SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Rejane Araújo Lopes – Enfermeira Chefe PSF Paracatuzinho

          Agentes de Saúde: Raquel José Macedo, Simone Boitrago Soares, Cleone Bento Martins, Antonieta Neves de Melo Oliveira, Geni de Souza Brito, Patrícia da Silva Amorim, Muriene Assunção Xavier

  • Luciana Tolentino de Oliveira – Enfermeira Chefe PSF Amoreiras

          Agentes de Saúde: Rosimar de Souza Fonseca, Abgail Rodrigues Soares, Leila Maria Ruela, Cristiane Nunes Rabelo, Jussara de Fátima Nascimento Santos Silva, Vânia Aparecida Ferreira Simão, Maria José Ferreira Gonçalves

Contratos temporários

  • Edson de Oliveira Lopes– Farmacêutico- Bioquímico
  • Tatiany Dumbá Santos- Enfermeira
  • Amanda Mayara da Silva Costa- Técnica laboratório
  • Emilene Monteiro Furtado Serra- Técnica laboratório
  • Vanuza de Fátima Campos - Técnica de laboratório
  • Thalita Cassuci Gonçalves- Enfermagem/TECSOMA
  • Sayure Kayashima- graduanda de Nutrição/ATENAS

Produção Científica

Hydrogeochemistry of arsenic pollution in watersheds influenced by gold mining activities in Paracatu (Minas Gerais State, Brazil)
Edison Bidone, Zuleica Castilhos, Ricardo Cesar, Maria Carla Santos, Ricardo Sierpe, Marcos Ferreira

Arsenic 2014
One Century of Discovery of Arsenicosis in Latin America (1914-2014) – Litter, Nicolli, Meichtry, Quici, Bundschuh, Bhattacharya & Naidu (Eds)
©2014 Taylor e Francis Group, London, ISBN 978-1-138-00141-1
Arsenic in the environment proceedings

Arsenic determination in atmospheric particulate matter from Paracatu - Brazil by ICP-OES
L. I. D. da Silva, L. do N. Silva, M. C. Carneiro, M. I. C. Monteiro, Z. C. Castilhos, W. Z. de Mello, J. A. Matos

Arsenic in atmospheric particulate matter in Paracatu, MG, Brazil / Arsénico en material particulado atmosférico en Paracatu, MG, Brasil
William Z. de Mello, J.A. Matos, L.I.D. da Silva, M.C. Carneiro, M.I. Monteiro and Z.C. Castilhos

Arsenic in Paracatu: a conceptual model for environmental and epidemiological  assessment and political contextualization / Arsénico en Paracatu: un modelo conceptual para la evaluación ambiental y epidemiológica y contextualización política
Zuleica Castilhos, E.M. De Capitani, I.M. Jesus, M.O. Lima, K. Faial, S. Patchineelam, W. Zambonid and E.D. Bidone

Arsenic in soils and sediments from Paracatu, MG, Brazil / Arsénico en suelos y sedimentos de Paracatu, MG, Brasil 
Edison D. Bidone, Z.C. Castilhos,L.C. Bertolino, M.C.B. Santos, R.S.V. Silva and R.G. Cesar

Arsenic levels in natural and drinking waters from Paracatu, MG, Brazil / Niveles de arsénico en aguas naturales y potable de Paracatu, Brasil
Edison D. Bidone, Z.C. Castilhos, M.C.B. Santos, R.S.V. Silva, R.G. Cesar and M. Ferreira

Diversity and trustworthiness of information sources on environmental contamination and risks of exposure to As in Paracatu, Brazil / Diversidad y confianza de las fuentes de información sobre contaminación ambiental y riesgos de la exposición al As en Paracatu, Brasil 
Frédéric Mertens, R. Távora, M. Alves and Z.C. Castilhos

Ecotoxicological assessment of arsenic contaminated soil and freshwater from Paracatu, Minas Gerais, Brazil / Evaluación ecotoxicológica de suelo y agua dulce contaminados con arsénico en Paracatu, Minas Gerais, Brasil 
Silvia Egler, R. Zacaron,B. Pinheiro, Z. Castilhos and E. Bidone

Human exposure assessment to arsenic and health indicators in Paracatu, Brazil / Evaluación de la exposición humana al arsénico e indicadores de salud en Paracatu, Brasil 
Eduardo M. de Capitani, I.M. Jesusb, K.R.F. Faial, M.O. Lima, K.C.F. Faial, A.P. Ferreira, L.M. Domingos and Z.C. Castilhos

Human health risk assessment by As environmental exposure in Paracatu
C. A. Lima, Z. C. Castilhos

Microbial activities response to As exposure in soil and sediments surrounding a gold mining area at Paracatu—Brazil
E. Sabadini-Santos, E. D. Bidone, Z. C. Castilhos, M. A. C. Crapez

 

IV Congresso Brasileiro de Geoquímica & Simpósio Latino-Americano de Mapeamento Geoquímica
Diamantina/MG – 13 a 18 de outubro de 2013

Variabilidade espacial e temporal das concentrações de As no material particulado atmosférico em Paracatu (MG)
Janaina Matos, William Zamboni de Mello (UFF); Zuleica Carmen Castilhos (UFF/CETEM); Lilian Irene Dias da Silva, Manuel Castro Carneiro (CETEM)

 

Avaliação da contaminação por arsênio (As) em águas de bacias hidrográficas no Município de Paracatu, MG
Maria Carla B. Santos (UFF); Zuleica C. Castilhos (UFF/CETEM); Luiz Carlos Bertolini (CETEM); Edison D. Bidone (UFF)

 

Caracterização e avaliação preliminar de fósforo em amostras de solos e sedimentos do Município de Paracatu, MG, Brasil
Alana R.C. Sá, Marcos Manoel Ferreira, Joanna M.C.O. Santos-Neves, Sambasiva R. Patchineelam, Ana L.M. Alves, Denise R. Araripe (UFF); Zuleica C. Castilhos (UFRJ)

Comportamento do arsênio em amostras de solos e sedimentos do município de Paracatu, MG, Brasil
Alana R.C. Sá, Marcos Manoel Ferreira, Joanna M.C.O. Santos-Neves, Sambasiva R. Patchineelam, Ana L.M. Alves, Denise R. Araripe; Zuleica C.Castilhos

Teores de arsênio em sedimentos superficias do Córrego Rico, Paracatu-MG
Marcos Manoel Ferreira, Alana R.C. Sá, Sambasiva R. Patchineelam; Zuleica C.Castilhos; Wolfgang Calmano

 

Goldschmidt (2013 e 2014)

Comportamento do arsênio em amostras de solos e sedimentos do município de Paracatu, MG, Brasil
Alana R.C. Sá, Marcos Manoel Ferreira, Joanna M.C.O. Santos-Neves, Sambasiva R. Patchineelam, Ana L.M. Alves, Denise R. Araripe; Zuleica C.Castilhos

Teores de arsênio em sedimentos superficias do Córrego Rico, Paracatu-MG
Marcos Manoel Ferreira, Alana R.C. Sá, Sambasiva R. Patchineelam; Zuleica C. Castilhos; Wolfgang Calmano

Sequential extraction of arsenic in sediments of Paracatu, MG, Brazil
M. M. FERREIRA, S. R. PATCHINEELAM, Z. C. CASTILHOS AND W. CALMANO

Arsenic mobility in soil of Paracatu
M. M. FERREIRA, S. R. PATCHINEELAM, Z. C. CASTILHOS2, J. GERTH AND W. CALMANO

 

ECOTOX 2014 - XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia
Guarapari – Espírito Santo – Brasil – 23 a 26 de setembro de 2014

Avaliação dos Teores de Arsênio (As) em Amostras de Tecido Capilar de Moradores do Município de Paracatu/MG
Kleber R. F. Faial, Monia Maria Carvalho da Silva, Iracina Maura de Jesus, Kelson Docarmo Freitas Faial, Davi Brasil, Zuleica Castillhos

Avaliação Ecotoxicológica da Contaminação de Solos e Águas Superficiais por Arsênio em Paracatu, MG
Silvia Gonçalves Egler, Raquel Zacaron Marques Abbud, Bruna Alves Pinheiro, Danielly De Paiva Magalhães, Zuleica Carmen Castilhos, Edison Dausacker Bidone

Determinação dos Teores de Arsênio (As) em Amostras de Urina de Residentes Localizados na Cidade de Paracatú-MG
Kleber R F Faial, Monia Maria Carvalho da Silva, Iracina Maura de Jesus, Kelson Docarmo Freitas Faial, Zuleica Castillhos, Davi do Socorro Barros Brasil

EcoHealth 2014 – International Association for Ecology and Health / Connections for Health, Ecosystems and Society / The 5th Biennial Conference of the International Association for Ecology & Health
Université du Québec à Montréal, Canada - 11 a 15 de agosto de 2014

Arsenic in Paracatu: environmental and epidemiological assessment, political contextualization and risk communication strategies – Zuleica Castilhos, Brazil

 

Dissertação de mestrado

Variação Espacial e Temporal das Concentrações de Arsênio Associado ao Material Particulado Atmosférico em Paracatu, MG
Janaina de Assis Matos
Dissertação de Mestrado apresentada ao Curso de Pós-Graduação em Geociências da Universidade Federal Fluminense
Área de concentração: Geoquímica Ambiental
Orientador: Dr. Willian Zamboni de Mello
Co-orientador: Dr. Zuleica Carmen Castilhos

Resultados e principais conclusões

Os resultados do estudo “Avaliação da contaminação ambiental por arsênio e estudo epidemiológico da exposição ambiental da população humana de Paracatu – MG”, coordenado pelo Centro de Tecnologia Mineral – CETEM, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, e financiado pela Prefeitura Municipal de Paracatu, revelaram que mais de 95% da população amostrada apresentaram baixos teores de arsênio em urina, abaixo de 7,49 µg/L, média referencial observada para a população norte-americana em geral e adotada na pesquisa, uma vez que no Brasil ainda há poucos resultados disponíveis para comparação. Os maiores teores de arsênio observados em urina variaram de 10 até 14 µg/L e foram registrados em apenas quatro moradores, o que representa menos de 0,5% da população amostrada. Os teores de arsênio em cabelo da população também indicaram baixa exposição. 

O público da amostragem da pesquisa foi cerca de 1.000 moradores de bairros atendidos pelos Postos de Saúde da Família (PSF), Amoreiras e Paracatuzinho, com mais de 40 anos de idade e residentes na cidade de Paracatu há pelo menos 20 anos. 

As águas de abastecimento doméstico de Paracatu também mostraram baixos teores de arsênio, não estando contaminadas. Quanto às poeiras respiráveis, estas revelaram arsênio dentro da faixa encontrada em outras áreas urbanas em vários locais do mundo. Entretanto, embora sempre dentro do limite mencionado, os teores se mostraram mais elevados nas áreas próximas à mineração de ouro e na direção predominante dos ventos, o que se recomenda deva ser objeto de monitoramento pelo poder público.

Ainda, os teores de arsênio em águas superficiais e solos se mostraram, via de regra, acima do estipulado pela legislação brasileira para consumo humano, mas abaixo dos teores máximos estipulados pela mesma legislação para uso em dessedentação animal e irrigação. 

Entretanto, os empregados da mineradora de ouro, que são também moradores do município, não participaram da pesquisa, embora tenham sido convidados. As razões para a não participação deles são incertas, mas pode-se afirmar que esse grupo é mais vulnerável à exposição ao arsênio do que a população em geral.

As fontes de informação mais utilizadas sobre o tema do Arsênio por pessoas de uma amostra da população da cidade de Paracatu (n=460) foram a televisão e as discussões com parentes, amigos e vizinhos. As discussões sobre o tema ocorrem preferencialmente entre pessoas do mesmo sexo. O conhecimento das pessoas sobre o Arsênio está associado ao uso da televisão como fonte de informação e a discussão interpessoal. A existência de comportamentos preventivos com intenção de diminuir o risco de exposição está associada a discussão sobre o tema do Arsênio com mulheres, mas não com homens. Estes resultados sugerem estratégias de difusão das informações científicas sobre o Arsênio que sejam diferenciadas de acordo com o género.

Fase atual de trabalhos
Desde o mês de maio de 2014 estão sendo entregues os resultados de exames de arsênio em urina, sangue e cabelo a cada participante do estudo, visando assegurar que a população tenha condições de se apropriar do conhecimento técnico, estimulando a construção individual e coletiva da cidadania, da educação em saúde e do controle social. 
Preparação de publicações em revistas científicas das diversas áreas do conhecimento também está em andamento.

RELATÓRIO FINAL EM BREVE

Recomendações ao poder público

O estudo realizado não esgota todas as questões relativas ao arsênio no município e, em função disso, as instituições que realizaram a pesquisa, coordenada pelo CETEM, recomendam que:

  •  a Secretaria de Saúde de Paracatu implante um programa permanente de vigilância ambiental e viabilize o acesso a informações detalhadas sobre o índice de exposição ao arsênio da parcela de sua população que é empregada da mineração de ouro, com o objetivo de avaliar o grau de contaminação e, caso cabível, adotar medidas;
  • o poder público de Paracatu lidere iniciativas imediatas de novos estudos sobre a exposição ao arsênio nas crianças moradoras em áreas próximas à mineração, uma vez que a pesquisa detectou teores de arsênio em solos, os quais podem eventualmente vir a ser ingeridos por crianças, devido ao hábito mão-boca, muito frequente na idade pré-escolar;
  • o poder público lidere iniciativas de avaliação aprofundada do comportamento do arsênio e outros contaminantes nos solos agrícolas pelo uso das águas de irrigação, sobretudo da bacia hidrográfica do ribeirão Entre-Ribeiros, a jusante da barragem de contenção de rejeitos da mineradora;
  • sejam desenvolvidas ações concretas, pelo poder público, visando o desenvolvimento sustentável do município, a curto, médio e longo prazos, recomendando enfaticamente que as instituições públicas e organizações não governamentais locais se preparem tecnicamente para avaliar e acompanhar o plano de fechamento da mina de ouro, atualmente estimada para 2032.

Contatos

Zuleica C. Castilhos, D.Sc. - Geoquímica e Toxicologia Ambiental
zcastilhos@cetem.gov.br

Eduardo Mello De Capitani, D.Sc. – Médico, Pneumologista, Especialista em Saúde Coletiva
capitani@fcm.unicamp.br

Iracina de Jesus, D.Sc. – Especialista em Vigilância em Saúde Ambiental do Instituto Evandro Chagas
iracinajesus@iec.pa.gov.br

Marcelo Lima – D.Sc. em Química
marcelolima@iec.pa.gov.br

Frédéric Mertens, PhD
mertens.br@gmail.com

Fim do conteúdo da página