Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > CETEM apresenta 37 anos de inovação tecnológica na EXPOT&C 2015
Início do conteúdo da página

CETEM apresenta 37 anos de inovação tecnológica na EXPOT&C 2015

Publicado: Sexta, 10 de Julho de 2015, 12h47 | Última atualização em Quinta, 05 de Outubro de 2017, 15h37 | Acessos: 2941

O Centro de Tecnologia Mineral (CETEM), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), apresentará ampla programação no estande montado na EXPOT&C, durante a 67ª Reunião Anual da SBPC. Os visitantes terão a oportunidade de apreciar uma exposição de minerais, conhecer a trajetória do CETEM ao longo dos seus 37 anos, assistir a vídeos sobre projetos desenvolvidos em arranjos produtivos locais de base mineral, conhecer soluções inovadoras sobre resíduos da mineração demonstradas por meio de maquetes e assistir a uma palestra sobre a scheelita, um mineral a partir do qual se obtém o metal tungstênio, utilizado em filamentos de lâmpadas incandescentes.

SOLUÇÕES INOVADORAS DÃO FORMA A MAQUETES

Algumas soluções inovadoras desenvolvidas por pesquisadores do Centro estão representadas na forma de maquetes que serão explicadas pelos expositores. São elas:

Pavimentação asfáltica com resíduos de rochas ornamentais – O pavimento asfáltico é formado por 95% de agregado mineral (britas, pedras, geralmente de basalto) e 5% de ligante asfáltico gerado na destilação de petróleo (asfalto). Estudos desenvolvidos no CETEM, que culminaram em dois pedidos de patente, apontaram a possibilidade de substituição do agregado mineral por resíduos gerados a partir da extração e beneficiamento de rochas ornamentais, o que reduziria o impacto provocado por estas atividades, que geram 60% de cacos e pós de rocha, materiais com poucas aplicabilidades tecnicamente comprovadas. Os resultados apontaram que, de acordo com os minerais que compõem o resíduo utilizado, o pavimento pode ser mais resistente ou mais flexível.

Biorremediação de solo contaminado por petróleo – A atividade de extração de petróleo e a produção de combustíveis podem provocar impactos no meio ambiente, como a contaminação do solo por derrame de petróleo, por exemplo. O CETEM, ao longo dos últimos 10 anos, vem trabalhando intensamente em projetos relacionados à utilização de microrganismos – fungos filamentosos, bactérias e leveduras - naturalmente presentes no ambiente para tratar solos contaminados. Os estudos são focados, sobretudo, na estimulação dos microrganismos naturalmente presentes nos solos contaminados, mediante a adição de água, oxigênio e nutrientes (nitrogênio, fósforo ou potássio), para que os próprios microrganismos degradem os contaminantes. Os projetos nesta área culminaram no desenvolvimento de um biorreator, equipamento específico para tratamento de solos contaminados por petróleo.

VÍDEOS APRESENTAM TRABALHOS EM ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

Os trabalhos do CETEM em arranjos produtivos locais de base mineral serão expostos na forma de vídeos. São eles:

Pedra Sabão - Capacitação profissional, recuperação de áreas degradadas e melhoria da qualidade de vida foram alguns dos principais resultados alcançados pelo CETEM no município de Mata dos Palmitos, interior de Minas Gerais, que conta com o artesanato em Pedra Sabão como base para a sua economia. 

A produção rudimentar do artesanato em pedra-sabão, atividade que começou a ser desenvolvida na comunidade há mais de um século,  pode provocar graves problemas de saúde para o trabalhador e para a sua família, além de impactar o meio ambiente. O talco, principal componente da pedra-sabão, pode apresentar contaminação com tremolita-actinolita, que são fibras consideradas cancerígenas quando inaladas. Estudos prévios indicaram altos níveis de poeira inaláveis e o aparecimento de sinais e sintomas de agravos sobre o sistema respiratório na população. 

Diante desta problemática, o CETEM passou a coordenar, em 2004, o projeto Desenvolvimento de Tecnologias Limpas para a Arte em Pedra-Sabão visando à melhoria da saúde, do ambiente e da qualidade de vida da comunidade de Mata dos Palmitos. Como resultado deste projeto, em 2010, inaugurou-se Unidade Protótipo de Tecnologias Limpas para a Arte em Pedra-Sabão, que marcou o início de uma nova forma de produção do artesanato local.

Pedra Paduana - Santo Antônio de Pádua, no noroeste Fluminense, serviu de cenário para o projeto pioneiro do CETEM, que, em parceria com o Instituto Nacional de Tecnologia, viabilizou a manutenção da principal atividade econômica local – a extração e o beneficiamento de rochas ornamentais – implicando em desenvolvimento econômico e socioambiental. Na região, cerca de 186 microempresas, em especial pequenas pedreiras e oficinas de serragem de rochas, muitas delas familiares, empregavam cerca de três mil pessoas direta e indiretamente, entre os anos de  1997 e 2005, quando o projeto Produção Limpa e Geração de Empregos no Setor de Rochas Ornamentais foi desenvolvido.

Executado pelo CETEM e parceiros, o projeto permitiu a transferência de tecnologias e conhecimentos simples para as microempresas, gerando como benefícios: a redução dos impactos ambientais da atividade e legalização das microempresas, que passaram a cumprir a legislação ambiental e de saúde/segurança do trabalhador.  Além disso, estudos identificaram novos usos para o resíduo sólido gerado pela extração e beneficiamento das rochas, como, por exemplo, a fabricação de argamassa industrial, que atraiu uma nova fábrica para a região, gerando um aumento no número de empregos vinculados à elaboração dos novos produtos produzidos.

Em 2005, o CETEM conquistou o segundo lugar e recebeu Menção Honrosa, na categoria inovação social, do Prêmio FINEP de Inovação Tecnológica 2005, com o referido projeto

Pedra Quartzito - As principais áreas mineralizadas de quartzitos na Paraíba estão na Província Borborema, mais precisamente nos municípios de Junco do Seridó e Várzea, cujos depósitos se estendem até os municípios de Parelhas e Ouro Branco no Rio Grande do Norte. Nesta região, um projeto focado na utilização dos resíduos da mineração do quartzito gerou como benefícios: novas oportunidades de emprego para os moradores, geração de renda e desenvolvimento/crescimento local.

O principal problema oriundo da extração e beneficiamento do quartzito é o rejeito fino (pó) gerado no processo, que pode provocar inúmeros danos ambientais (assoreamento de rios), à saúde da população (problemas respiratórios) e segurança (atração de insetos peçonhentos). O projeto Tecnologia Avançada para Mineração de Quartzito da Paraíba teve o objetivo de expandir e organizar a atividade do APL de quartzito do Seridó – PB, por meio da melhoria da qualidade do produto e do seu processo de fabricação, racionalizando o sistema de produção de forma integrada, com a introdução de novas máquinas e equipamentos.

Como resultado, desde 2010, rejeitos finos oriundos do beneficiamento de quartzito passaram a ser utilizados como matéria-prima para fabricação de argamassa, possibilitando a adequação das microempresas às normas estabelecidas pelos órgãos ambientais, o que permitiu a manutenção da atividade mineral, base da economia da região. Outros estudos apontaram a viabilidade de aproveitamento dos finos na produção de vidro e cerâmica.

O quartzito é uma rocha ornamental com propriedade refratária. Por ser antiderrapante e resistente a altas temperaturas, é utilizada como revestimento de paredes e piscinas, entre outros.

MUNDO MINERAL É TEMA DE EXPOSIÇÃO

A mostra denominada Nosso mundo também é mineral, chama a atenção do público para a questão do uso racional dos recursos não renováveis. Os visitantes poderão apreciar amostras de gemas, rochas e minerais nacionais, que, utilizados como insumo pela indústria, exercem influência direta no cotidiano de toda a sociedade brasileira. 

DISTRUBUIÇÃO DE PUBLICAÇÕES

Haverá, ainda, a distribuição de  gibis e da tabela periódica ilustrada, atualizada recentemente, incluindo as mais recentes aplicações dos elementos do grupo lantanídeos, também conhecidos como terras-raras. Publicações do CETEM, incluindo o livro CETEM 35 anos: criatividade e inovação, estarão em exposição no estande.

SOBRE O EVENTO

A EXPOT&C é uma mostra de ciência, tecnologia e inovação (C,T&I) que reúne centenas de expositores, como universidades, institutos de pesquisa, agências de fomento, entidades governamentais e outras organizações interessadas em apresentar novas tecnologias, produtos e serviços. O evento conta com pavilhões climatizados onde ficam abrigados os estandes dos expositores. O CETEM terá um estande no pavilhão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, na EXPOT&C, aberta para visitação entre os dias 12 e 18 de julho, na Universidade Federal de São Carlos, na cidade de São Carlos - SP.

A 67º edição da reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, evento nacional, no qual a EXPOT&C está inserida, tem como tema: "Luz, Ciência e Ação".
Realizada desde 1948, com a participação de representantes de sociedades científicas, autoridades e gestores do sistema nacional de ciência e tecnologia, a Reunião Anual da SBPC é um importante fórum para a difusão dos avanços da ciência nas diversas áreas do conhecimento e um fórum de debates de políticas públicas para a ciência e tecnologia.        

A programação científica é, geralmente, composta por conferências, simpósios, mesas-redondas, encontros, sessões especiais, minicursos e sessões de pôsteres. Acontecem também, durante a Reunião Anual, eventos paralelos, como a SBPC Jovem (programação voltada para estudantes do ensino básico), a EXPOT&C (mostra de ciência e tecnologia) e a SBPC Cultural (apresentação de atividades artísticas regionais e discussões sobre temas relacionados à cultura).

Saiba mais em: www.sbpcnet.org.br/saocarlos/home/
 

registrado em:
Fim do conteúdo da página