Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Projeto Entidades Associadas – um caso de sucesso

Publicado: Quinta, 23 de Novembro de 2017, 13h32 | Última atualização em Sexta, 24 de Novembro de 2017, 16h15 | Acessos: 257

Após três anos de intensa atividade, chegou ao fim o Projeto Entidades Associadas. Com patrocínio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), por meio de descentralização de crédito orçamentário, o projeto teve como objetivo promover atividades de pesquisa conjuntas envolvendo o CETEM e as Universidades Federais de Campina Grande (UFCG) e de Pernambuco (UFPE). O projeto favoreceu a integração entre as instituições e contribuiu para a consolidação de um núcleo diferenciado de pesquisa, constituído pelo CETEM/MCTIC, as universidades, e outros partícipes, com competência e qualificação.

Caso de sucesso

O projeto das Entidades Associadas pode ser considerado um caso de sucesso, pois contribuiu para o fortalecimento da capacidade científica e tecnológica, no que diz respeito à pesquisa, desenvolvimento e inovação nos laboratórios instalados nas regiões de estudo, criando o ambiente associativo destas instituições públicas com o sistema das Unidades de Pesquisa do MCTIC.

O projeto gerou o depósito de um privilégio de invenção relacionado com a incorporação de resíduos, gerados no beneficiamento de caulim, em matrizes poliméricas para a geração de compósitos com resistência elétrica, acústica e sonora, além da publicação do livro sobre Gemas do Nordeste, que deverá ocorrer no próximo ano.

Além disso, promoveu a difusão de conhecimento técnico-científico por meio da geração de mais de 100 documentos, com destaque para 33 trabalhos de conclusão de curso (TCC), duas dissertações de mestrado e uma tese de doutorado, 31 trabalhos completos apresentados em congressos de cunho nacional, 38 relatórios técnicos. Alunos de graduação foram destaques em jornadas de iniciação científica com trabalhos desenvolvidos no âmbito do Projeto Entidades Associadas. Seis trabalhos foram publicados em revistas não indexadas.

CETEM e UFCG

A atuação do CETEM em conjunto com a UFCG buscou contribuir para o melhor aproveitamento de quartzitos e de pegmatitos portadores de minerais como caulins, columbo-tantalita, feldspatos, turmalinas, berilos, minerais de lítio (ambligonita e espodumênio), fosfatos (apatita, monazita, xenotima) e moscovita, que possuem inúmeras aplicações industriais.

Para tal, realizaram-se atividades nas seguintes áreas: pesquisa mineral, métodos de lavra, processamento mineral, avaliação dos impactos ambientais, aproveitamento de resíduos e avaliação da mineração na região do estudo (PB/RN e CE), por meio de indicadores de sustentabilidade.

Como resultado, ao longo do projeto, foram realizadas atividades de pesquisa e caracterização de produtos e resíduos, mapeamento geológico, além de estudos para a melhoria dos métodos de lavra e beneficiamento. Adicionalmente, houve a capacitação de novos pesquisadores e difusão das pesquisas realizadas.

CETEM e UFPE

Nos trabalhos desenvolvidos em conjunto com a UFPE, objetivou-se contribuir com a cadeia produtiva de minerais industriais, com foco em rochas ornamentais, agregados e gemas, aportando conhecimento científico e tecnológico. Como resultado, foram geradas novas rotas de aplicações e soluções sustentáveis que levaram a um maior valor agregado dos recursos extraídos, preservando os padrões de qualidade ambiental (ar atmosférico e sismos do terreno) com parâmetros controladores da ação antrópica – normalizações técnicas e ambientais.

Para isso, o projeto desenvolveu pesquisas e capacitou equipes no estudo de controle ambiental das atividades de lavra de minerais agregados e industriais (APLs da região do município de Santo Antônio de Pádua/RJ, Polo de Rochas Ornamentais de Cachoeiro do Itapemirim/ES e Pedreiras de brita da Região Metropolitana do Recife-RMR e de Vitória/ES). Foram realizados também estudos de caracterização e uso de tecnologias aplicadas a minerais industriais e gemas, com ênfase na geologia de gemas (Província da Borborema – PB, RN, CE), além de outras ocorrências gemológicas no estado de Pernambuco.

registrado em:
Fim do conteúdo da página