Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

CETEM participa de reunião sobre internacionalização do setor de Rochas Ornamentais

Publicado: Quinta, 16 de Março de 2017, 08h00 | Última atualização em Terça, 11 de Abril de 2017, 09h04 | Acessos: 700

A pesquisadora Nuria Castro representou o CETEM em reunião com a Apex-Brasil, a ABIROCHAS, a ABDI, o BNDES, o SEBRAE, o Ministério das Relações Exteriores, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e a Câmara de Comércio Exterior. O encontro teve como objetivo discutir alguns temas relacionados ao processo de internacionalização do setor de rochas ornamentais, ligados ao projeto Brasil Original Stones, que visa a promoção de rochas ornamentais, assim como ampliar as exportações do setor. A reunião ocorreu no dia 2 de março, na sede da Apex-Brasil, em Brasília.

Durante a reunião, foi discutida a criação de um grupo de trabalho para apoiar o aumento das exportações brasileiras de rochas ornamentais mediante a implementação do Plano Estratégico elaborado pela ABIROCHAS. O projeto "Rochas Ornamentais" é um dos 70 projetos setoriais apoiados pela APEX e, apesar do bom desempenho do setor em comparação com outros da área mineral, o valor das exportações tem diminuído nos últimos anos e há o risco de diminuir ainda mais por diversos fatores como: barreiras técnicas ou comerciais de outros países, forte concorrência dos materiais artificiais no mercado internacional, falta de evolução tecnológica e de capacitação do setor para agregar valor às exportações, problemas de infraestrutura portuária, dentre outros.

Tendo em vista a diversidade de fatores que afetam a competitividade das rochas ornamentais, a APEX decidiu articular um grupo de trabalho para atuar nas diferentes áreas. O CETEM, única instituição federal de PD&I com competência em rochas ornamentais, foi convocado a participar desse grupo para servir de apoio técnico na busca por soluções para os gargalos relacionados às questões de agregação de tecnologia e inovação do setor que são necessárias para que as empresas brasileiras possam superar as barreiras técnicas impostas por países como a China. E auxiliar na necessária transformação interna do setor para a “terceira onda” exportadora, que seria a da exportação de produtos acabados, incluindo o fornecimento direto de produtos “cut-to-size” a grandes obras no exterior.

Os trabalhos continuarão em grupos já direcionados por área de atuação, e a coordenação será realizada pela APEX.

registrado em:
Assunto(s): rochas ornamentais
Fim do conteúdo da página