Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > CETEM Sustentável
Início do conteúdo da página

CETEM Sustentável

Publicado: Quinta, 14 de Julho de 2016, 10h34 | Última atualização em Quinta, 01 de Fevereiro de 2018, 11h13 | Acessos: 15215

Lago do CETEM

As ações de estímulo institucional para práticas de sustentabilidade ocorreram de forma invertida no Centro de Tecnologia Mineral, doravante CETEM. Primeiro, em função de dispositivos legais compulsórios, o CETEM instituiu o seu Plano de Logística Sustentável, traduzido por 13 medidas adotadas em seu programa CETEM Sustentável. Em seguida, também em cumprimento a uma exigência legal, implanta medidas de economia linear que se traduzem nas metas do Programa Esplanada Sustentável. Ao longo do tempo, o esforço se mantém, mas as práticas contra o desperdício e outras ações se tornam dispersas na Casa, carecendo de um eixo norteador. Dessa forma, a proposta de adesão aos compromissos para uma agenda ambiental do CETEM se mostra uma caminho norteador, que auxilie o Centro na manutenção de suas práticas sustentáveis.

Mas antes de avançar, é necessário entender melhor o que foi o Programa CETEM Sustentável e suas motivações.

O Programa CETEM Sustentável decorreu de um conjunto de normas legais em vigor: Constituição, Leis, Decretos, Acórdão do TCU - Tribunal de Contas da União, Portaria Interministerial, Portaria do MCTIC, Instrução Normativa, Ofício-Circular, Termo de Adesão MCTIC, Portarias do CETEM.

O primeiro pilar para a existência do programa de SUSTENTABILIDADE em andamento nos principais Ministérios, incluindo no MCTIC e nas suas unidades de pesquisa, é o da Constituição de 1988. O artigo 225 trata do meio ambiente, ressaltando o dever do Poder Público e da coletividade para com a promoção de um meio ambiente ecologicamente equilibrado, sendo este um bem comum ao povo e essencial à sua qualidade de vida, carecendo ser preservado para as gerações presentes e futuras.

O segundo pilar aconteceu em 2011, a sua fonte é o Plenário do Tribunal de Contas da União, o Acórdão nº 1.752 de 29/06/2011, que enfaticamente recomenda ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão um plano de ação, que oriente e incentive todos os órgãos e entidades da Administração Pública Federal a adotarem medidas para o aumento da sustentabilidade e eficiência no uso de recursos naturais, em especial na energia elétrica, água e papel. O Acórdão do TCU elenca também, como fundamento da sua recomendação, a adesão do Brasil a vários acordos internacionais: Agenda 21, Convenção Quadro das Nações Unidas Sobre Mudança do Clima e Processo Marrakech.

Durante o decurso do ano de 2012 entraram em vigor novas disposições legais compulsórias. Destaca-se o Plano de Logística Sustentável – PLS, Portaria MCTIC nº 29 de 13/12/2012, concebido para atender à Instrução Normativa nº 10 de 14/11/2012 do MPOG, que cria a CGPGLS - Comissão Gestora do Plano de Gestão Logística, com a finalidade de adequar o Ministério, às novas obrigações. As então 16 Unidades de Pesquisa do MCTIC, por meio de competência delegada aos seus Diretores, criam suas respectivas CGPGLS e Planos de Logística Sustentável específicos, com a finalidade de adequar cada UP às novas obrigações legais. Também cabe menção o Ofício Circular MPOG nº 13 de 6/12/2012, intitulado METAS PARA A ESPLANADA SUSTENTÁVEL, que quantificou em até 10% a economia linear que deveria ser atingida por cada Ministério e Instituição pública. Apesar de ousada, a meta instituída foi plenamente atingida pelo CETEM nos anos de 2013 e 2014.

O CETEM concebe a sua Comissão que, em um prazo de 180 dias, cria e dá execução ao seu Plano de Logística Sustentável, com foco em práticas de sustentabilidade e, especialmente após as metas do Esplanada Sustentável, racionalização de gastos e processos na Administração Pública. A CGPGLS - CETEM realizou um diagnóstico detalhado no Centro, que se materializou em 13 medidas adotadas pelo Plano, que passou a ser denominado internamente CETEM Sustentável.

O CETEM Sustentável gerou uma série de ações internas, em prol da operacionalização das 13 medidas, mas o projeto foi descontinuado pelo MCTIC, sem a totalidade do repasse dos recursos, restando apenas o pacto de redução de consumo acordado pelo Programa Esplanada Sustentável. O CETEM Sustentável foi mantido, apesar do contingenciamento orçamentário dos últimos anos, restando 7 medidas que vem sendo adotadas pela casa desde 2013. Quais sejam:

  1. Economia e uso racional da energia elétrica
  2. Economia e uso racional da água
  3. Economia e uso racional de outros recursos: papel, impressão de cópias, copos descartáveis
  4. Qualidade de vida no ambiente de trabalho
  5. Coleta seletiva solidária
  6. Gestão de resíduos sólidos
  7. Ações e iniciativas

Ações iniciais para a implementação de uma Agenda Ambiental da Administração Pública - A3P

Incentivar a eficiência no desempenho das atividades de gestão e administração no setor público, motivar o consumo e compras sustentáveis, bem como promover amplamente a sustentabilidade são os principais desafios propostos pelo Programa Agenda Ambiental da Administração Pública (A3P).

Apesar do Programa A3P não ter o caráter compulsório, a sua adesão voluntária representa o comprometimento institucional com metas globais para o uso racional dos recursos naturais e ainda tornam visíveis para a sociedade as ações empreendidas em prol do meio ambiente.

Comprometimento e transparência talvez sejam as duas palavras que definem a razão de ser do Programa A3P, que integra o Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis (DPCS) do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Até o ano de 2016 o programa contou com a adesão de 312 instituições públicas brasileiras federais, estaduais e municipais. Deste total, 40% representavam instituições públicas federais.

No ano de 2017, o Centro de Tecnologia Mineral (CETEM/MCTIC) direciona os trabalhos da sua Comissão Gestora para a implementação da A3P. A instituição já possui iniciativas anteriormente implementadas como o Plano de Logística Sustentável (PLS), CETEM Sustentável e o GESPÚBLICA , no qual foi premiado no nível ouro para a régua de 500 pontos. Desta forma, a elaboração do diagnóstico, o plano de gestão socioambiental, ações de sensibilização e a avaliação e monitoramento das ações já são parte das ações de sustentabilidade estabelecidas na instituição.

Assim, a tentativa de adoção de uma agenda ambiental se dá com o propósito de sistematizar e orientar as práticas existentes, em prol de um programa de sustentabilidade que se mantenha e que seja parte da missão institucional e das atividades cotidianas do CETEM.

Economia e uso racional dos recursos

O Plano de Logística Sustentável – PLS do CETEM deve ser utilizado como uma ferramenta para gestão de recursos de qualquer natureza, de forma racional e equacionada, permitindo a preservação de fontes renováveis de materiais, além de promover economia e sustentabilidade, beneficiando o ambiente da instituição.

Desde março de 2013, alinhado com o Programa Esplanada Sustentável e com as iniciativas do MCTIC, o CETEM vem buscando utilizar melhor os seus recursos. Os quadros abaixo mostram o esforço empreendido entre 2012 e 2017, na sede do CETEM, no Rio de Janeiro, e entre 2015 e 2017, no Núcleo Regional do Espírito Santo, em Cachoeiro de Itapemirim.

Gráfico consumo médio de energia
Gráfico de percentural de redução de consumo médio de energia

1. Economia e uso racional da energia elétrica

Em 2012 o PLS do CETEM trabalhou com as médias de consumo no período, desde 2008, pactuando uma meta de redução de 5% para o ano de 2013. As ações da CGPLS CETEM focaram no mapeamento dos itens impactantes da conta de luz, como a necessidade de substituição de lâmpadas de alto consumo, a não distribuição correta da iluminação, mantidas em locais de pouco uso, a necessidade de instalação de sensores em corredores, copas e banheiros, o levantamento do consumo relacionado ao sistema de refrigeração de ambientes e a instalação de um medidor de energia elétrica exclusivo para o restaurante, a fim de que no próximo contrato o consumo medido recaia sobre o prestador. Apesar das medidas não terem sido mantidas em sua totalidade, algumas ações permanecem gerando indicadores institucionais que alimentam o Esplanada Sustentável.

1.1 Meta Institucional

a) Reduzir o consumo de energia do CETEM em 5% no período de dez/2016 a dez/2017. Para alcançar a meta, foram desenvolvidas algumas ações institucionais:
Ação 1: Redução do número de lâmpadas em áreas coletivas e de circulação, tais como biblioteca, copas, banheiros, corredores e marquises;
Ação 2: Troca das lâmpadas das áreas coletivas e de circulação por tipos similares de menor consumo;

A Coordenação de Administração – COADM do CETEM vem efetuando a avaliação sistemática da área construída e do seu entorno, buscando maior eficiência na distribuição das lâmpadas existentes. Além disso, as trocas de lâmpadas por similares de menor consumo é uma ação contínua, uma vez que, em função do contingenciamento orçamentário, estas somente são substituídas quando estão com defeito.

Com relação aos dados de consumo, estes são gerados e disponibilizados para o Núcleo de Apoio à Gestão – NAG e Núcleo de Comunicação Social – NCS, ambos da Coordenação de Planejamento, Gestão e Avaliação - COPGA, de modo a comporem os indicadores de consumo do Relatório de Gestão do TCU, do Relatório de Auto Avaliação em Excelência em Gestão do MPOG, do Prêmio Qualidade Rio, todos de confecção anual.

b) Aperfeiçoar o sistema elétrico do CETEM, reduzindo em até 5% o consumo de energia em um período de 5 anos.

Embora a meta não apresente prazo para início, uma vez que depende principalmente de recurso orçamentário, para alcança-la será necessário desenvolver as seguintes ações:
Ação 1: Conceber um projeto para adequação da rede elétrica do CETEM com o objetivo de otimizar o consumo das áreas mais sensíveis e estimular o uso de energia oriunda de fontes renováveis.
Ação 2: Implementar o projeto para adequação da rede elétrica do CETEM.

1.2 Análise dos resultados alcançados

Os dados de consumo estão indicados nos gráficos a seguir:

Gráfico de percentural de redução de consumo médio de energia
Percentual de redução de consumo médio comparando-o com o anoanterior. Fonte COADM/CETEM
Gráfico consumo médio de energia
Consumo médio de energia elétrica no CETEM e no NRES em kWh – período de 2015 a 2017. Fonte: COADM/CETEM

Os dados relativos a consumo de energia elétrica vem sendo compilados e divulgados no CETEM desde 2012, e no Núcleo Regional do ES desde 2015. Os resultados dos últimos três anos demonstram que o CETEM superou a meta proposta pelo Programa Esplanada Sustentável, de 5% ao ano. Mas cabe lembrar que as médias podem estar sujeitas a variações em função do uso mais intensivo da usina piloto e do ar condicionado central.

1.3 Consumo de lâmpadas eficientes

Adquiridas em 2017 a) 100 lâmpadas LED tipo PAR38 de 18 Watts, temperatura de cor de 6.500ºK, bivolt, base E27, para serem instaladas em substituição as lâmpadas fluorescentes de 20W e lâmpadas mistas de 160W.
b) 320 lâmpadas tubulares LED Glass, potência de 18W, bivolt, fluxo luminoso de 1850 lumens, IRC maior que 80, temperatura de cor de 6.500ºK, eficiência luminosa de 103 lm/W e com vida mediana mínima de 25 mil horas, selo PROCEL "A", para substituírem as lâmpadas fluorescentes de 40W de laboratórios e salas de pesquisadores.
Adquiridas em 2016 460 lâmpadas tubulares LED Glass, potência de 18W, bivolt, fluxo luminoso de 1850 lumens, IRC maior que 80, temperatura de cor de 6.500ºK, eficiência luminosa de 103 lm/W e com vida mediana mínima de 25 mil horas, selo PROCEL "A".
Adquiridas em 2015 83 lâmpadas LED tipo PAR38 de 18 Watts, temperatura de cor de 6.500ºK, bivolt, base E27, para serem instaladas em substituição as lâmpadas fluorescentes de 20W e lâmpadas mistas de 160W das luminárias dos halls.

2. Economia e uso racional da água

Em 2012 o PLS do CETEM implementou uma série de medidas de alto impacto para a redução de consumo de água do CETEM. As medidas incluíram a adequação das instalações hidráulicas em copas e banheiros, a substituição das torneiras de volante por torneiras temporizadas, a substituição de garrafões de água mineral por filtros e a captação de água da chuva para abastecer o lago principal.

2.1 Manutenção dos lagos do CETEM

Dentre as medidas efetuadas, cabe destaque a captação de água da chuva para abastecer o lago principal.

Em 2013 o CETEM apresentava em torno de seu prédio um espelho de água com cerca de 700 mil litros, além de dois pequenos lagos, localizados na região do estacionamento, que somam cerca de 300 mil litros. A reposição da água do lago era feita exclusivamente com água da CEDAE. Em função do PLS CETEM foi executado um projeto de recuperação de água da chuva oriunda do telhado de uma das alas do CETEM, que passou a ser recolhida para os lagos menores, e a ligação com o lago maior foi individualizada, para permitir a autossuficiência na reposição de água.

Em 2016 o lago maior foi dividido em dois, para permitir a sua manutenção. Com a falta de chuvas, a parte menor, próxima à fachada do CETEM, deixou de ser alimentada - o que aumentou o nível de água da outra metade, que passou a ser mantida exclusivamente pela água da chuva.

<

Percentual de redução de consumo médio comparando-o com o ano
anterior. Fonte COADM/CETEM
Gráfico de percentural de redução de consumo médio de energia
Vista do lago que margeia o Auditório Prof. Roberto Villas-Bôas.
Vista da fachada do CETEM, com parte do lago principal sem água
Vista da fachada do CETEM, com parte do lago principal sem água.
Gráfico de percentural de redução de consumo médio de energia
Vista de um dos lagos menores, em direção ao estacionamento.

3. Economia e uso racional de outros recursos: papel, impressão de cópias, copos descartáveis

3.1 Papel reciclado

Em abril de 2015 foram adquiridas 3 mil resmas de papel reciclado A4 por meio de compra compartilhada sustentável. Na ocasião, as resmas foram adquiridas a um valor médio de R$ R$ 9,78, totalizando R$ 29.340,00. Atualmente o valor médio é de R$ 20,00.


Tabela 2 – Aquisição e consumo de resmas por ano. Fonte: COADM/CETEM

Até 2017 foram consumidas 1.547 das 3 mil resmas adquiridas em 2015, restando um saldo de 1.422. É possível observar uma forte redução do consumo de papel até 2015, em função de ações como o fechamento da copiadora do CETEM, a concentração de impressoras em áreas comuns, o controle de cópias, dentre outros. Apesar do aumento de consumo observado nos últimos 2 anos, a perspectiva de redução é forte em 2018, em função da implementação do Sistema Eletrônico de Informações – SEI, ferramenta de gestão de documentos e processos eletrônicos que substituirá os processos em papel.

3.2 Impressão de cópias

O CETEM inicia ao final de 2014 o seu controle de impressões contabilizando, para os últimos três anos os totais indicados no gráfico a seguir.


Contagem de impressões em preto e branco e coloridas por ano. Fonte: COADM

Cabe destaque a redução de 8% de 2016 para 2015, sendo que, dos totais, 76% foram cópias em preto e branco.

Também vale destacar que no ano de 2016 houve a consolidação do planejamento estratégico do CETEM e diversos documentos gerenciais foram concebidos. Cabe destaque a redução de 8% de 2016 para 2015, sendo que, dos totais, 76% foram cópias em preto e branco.

Também vale destacar que no ano de 2016 houve a consolidação do planejamento estratégico do CETEM e diversos documentos gerenciais foram concebidos.

3.3 Água de beber sustentável e copos recicláveis

O CETEM somente disponibiliza copos de água descartáveis para os visitantes e para os eventos institucionais. Os copos são biodegradáveis, feitos a partir do bagaço da cana de açúcar. Para os colaboradores é estimulado o uso de canecas, garrafas e outros reutilizáveis de pertence pessoal.

Em agosto de 2016 foram adquiridas 25 mil unidades de copos biodegradáveis para água e líquidos diversos, quentes e frios, com capacidade para 200ml, confeccionados a partir de amido de milho biodegradável, ao valor de R$ 4.800,00 (R$ 0,19 a unidade). O CETEM ainda utiliza o material adquirido em 2016.

Em 2016 houve a substituição de 9 garrafões por filtros de água. Em 2017 ocorreu a substituição de mais 7 garrafões por filtros. Os filtros adquiridos possuem proteção antibactérias com classificação P1/C1, ou seja: Retenção de partículas: P-1 maior ou igual a 0,5 e menor ou igual a1µm. Redução de cloro livre: C-1 maior ou igual a 75%. Também apresentam tensão de 110V, com três opções de temperatura e indicador gradual de troca de filtro.

Qualidade de vida no ambiente de trabalho

O CETEM trata seu capital humano, sejam colaboradores, comunidade, sociedade como um todo. Por tal, provê várias ações que propiciam um ambiente de trabalho agradável, pensando na saúde e motivação do trabalhador e da sua família, compatível com a missão institucional.


Aula de yoga no pavilhão didático
Clique na imagem para ampliar.

Aula de dança de salão na sala VIP

Desse modo, o Centro disponibiliza um espaço destinado a aulas de ioga e dança de salão e sedia aulas de idiomas para os colaboradores.

O entorno da instituição é repleto de áreas verdes com lagos, por isso, ao longo dos gramados, sob as copas das árvores, estão instaladas cadeiras de jardim, que se somam aos bancos de cimento ao largo dos lagos, criando uma área de amenidade e de convivência para os funcionários e para os visitantes que frequentam o restaurante do CETEM. Como há pouca infraestrutura no campus universitário, o CETEM abre o seu restaurante ao público.


Vista das áreas verdes internas do prédio do CETEM

Vista do dos fundos, ao lado dos laboratórios da Ala Vermelha
 

Vista do jardim de fundos, ao lado do estacionamento

Vista do jardim japonês

Vista do espaço de convivência

A área gramada também conta com um campo de futebol e um espaço de convivência menor, contendo sinuca, churrasqueira e mesas, em que todos os colaboradores podem descansar nos intervalos e horário de almoço.

As dependências do CETEM também contam com quatro Copas para o serviço de água e café e um refeitório com mesas e equipamentos de cozinha, para aqueles que preferem trazer sua comida de casa.

Durante o ano são programados eventos, palestras e peças de teatro abordando temas motivacionais, culturais e éticos, além da confraternização anual da Instituição. As coordenações também possuem autonomia para organizar seus próprios eventos comemorativos e integração social.

Cabe ressaltar que o ano de 2017 foi atípico para a instituição, em função do forte contingenciamento orçamentário, e os eventos de cunho social foram temporariamente interrompidos, tendo sido priorizados os eventos técnico-científicos, bem como a Jornada BIC e a Jornada PCI, onde os bolsistas de iniciação científica e os bolsistas PCI expõem seus trabalhos de pesquisa em andamento para uma banca de avaliadores externos.

1. Disseminação do conhecimento científico e tecnológico e a promoção de inclusão social

Na busca por atender aos anseios do governo federal no tocante a popularização da ciência e disseminação do conhecimento, o CETEM, por meio da produção de material lúdico e interativo, vem traduzindo a linguagem acadêmica - forma pela qual o conhecimento científico é gerado - para uma linguagem coloquial, de fácil compreensão com o objetivo de alcançar, principalmente, crianças e jovens.

No decorrer desses anos, o Centro tem empreendido esforços com sua participação na Semana Nacional de C&T, SBPC e, internamente, por meio de visitas guiadas, aos nossos laboratórios. Essas visitas são oferecidas a alunos da rede pública e privada. As atividades têm como objetivo chamar a atenção para as atividades científicas aqui desenvolvidas e visam não só a valorização da criatividade, da inovação e da atitude científica, mas buscam evidenciar a importância da ciência e da tecnologia no cotidiano dessas pessoas por intermédio de uma linguagem que lhes seja completamente inteligível.

Dessa forma, o CETEM não só dissemina o conhecimento entre seus pares, mas também cumpre seu dever social demonstrando a aplicação dos recursos públicos aqui empregados no desenvolvimento de C&T ao mesmo tempo em que evidencia sua importância para a soberania do País.
Clique na imagem para ampliar.

Participação do CETEM na Semana Nacional de C&T de 2017
Clique na imagem para ampliar.

Visita de estudantes aos laboratórios do CETEM
Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.
VI Jornada do Programa de Capacitação Institucional – PCI/2017

2. Acervo de minerais, minérios e rochas do CETEM

O acervo de minerais, minérios e rochas do CETEM foi formado ao longo dos últimos 39 anos e é constituído por amostras de diferentes regiões do Brasil e do Mundo. As amostras foram coletadas por pesquisadores do Centro e doadas por empresas do setor mineral, as mesmas representam diferentes áreas da produção e beneficiamento mineral.

Através da exposição dos minerais e minérios, de forma lúdica, será possível ver, sentir e tocar as amostras. Ao presenciar os experimentos estariam vendo na prática, transformar-se em realidade, o que aprenderam de forma teórica, nos livros escolares o que funcionaria não só como instrumento facilitador no aprendizado e na absorção do conhecimento, mas também propiciaria aos jovens uma visão do leque de profissões existentes nessa área.


Visão das amostras do Acervo Mineral do CETEM

As amostras encontram-se espalhadas por áreas públicas de todo o CETEM, porém, atualmente não existe padrão para sua organização e identificação, o que cria pouca conexão com o espectador.

Em 2017 o CETEM iniciou um projeto piloto que objetiva catalogar e classificar as amostras segundo as suas características e propriedades, agrupando os minerais de acordo com seus tipos (e.g. silicatos, óxidos, sulfetos, etc) e estes receberão um código de identificação individual que, ao ser acessado no repositório online do CETEM, exibirá todas as informações do espécime em questão, tais como: nome, fórmula química, hábito cristalino, dureza, densidade, ocorrência, fotografias, local de procedência, nome do doador, quando houver, entre outras.


Proposta de etiqueta para as amostras do acervo do CETEM

Os minérios, assim como os minerais, também receberão códigos de identificação e informações semelhantes (e.g. nome, fórmula química, local, doador, etc), além da tipologia do depósito em que o minério foi formado (e.g. VMS, SEDEX, Pórfiro, etc, quando previamente informado). As amostras também serão caracterizadas pelas técnicas de difratometria de raios X (DRX), fluorescência de raios X (FRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia vibracional na região do infravermelho (IV) e micro Raman.

Dessa forma, o modelo das etiquetas de identificação dos espécimes contará - além de informações como nome, fórmula química, localidade e doador, os dois últimos quando possíveis - o código e um QR Code que poderá ser escaneado pelo smartphone do visitante e automaticamente abrirá uma página na web com todas as informações daquela amostra (atualmente o QR Code leva o espectador para o site do Centro, o acervo online ainda precisa ser desenvolvido), o que aumentará o interesse e participação do público nas exposições e o grau de aprendizado que cada espécime pode proporcionar.

Coleta Seletiva Solidária

O Decreto Nº 5.940 de 2006 institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis. Em cumprimento ao referido decreto, o CETEM estabeleceu o programa de coleta e destinação de materiais recicláveis que vem sendo mantido desde o ano de 2007. Nestes dez anos, doou às cooperativas de catadores de materiais recicláveis o seguinte quantitativo: 15.028 quilos de papelão, 15.500 quilos de papel, 344 quilos de plásticos, 48 quilos de latinhas de alumínio e 1.425 de outros materiais recicláveis.

A doação de materiais recicláveis faz parte da parceria firmada entre o CETEM e as cooperativas participantes (COOTRABOM, COOPAMA, Tubiacanga e Coopquitungo), em atendimento às determinações contidas no Decreto nº 5940/06, que institui a separação dos resíduos recicláveis descartados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta, na fonte geradora, e a sua destinação às associações e cooperativas dos catadores de materiais recicláveis.

O gráfico ilustra o quantitativo de materiais recicláveis doados em dez anos. Vale ressaltar que entre os anos 2009 e 2010 não há registros e foi considerado para estes anos os valores médios doados entre os anos 2007 e 2008.


Balanço das doações de materiais recicláveis em kg no período de 10 anos. Fonte: CCSS/CETEM, 2017

Entre os anos de 2011 a 2014 todo material reciclável gerado no CETEM foi repassado às cooperativas de catadores sem a formalização de um documento. Desde a assinatura do Termo de Compromisso com a Coopquitungo, o controle da pesagem dos materiais é realizado no dia da coleta pelos membros da comissão.

A área de armazenamento de materiais recicláveis sofreu algumas mudanças ao longo do tempo. Em 2007 foi cedido um espaço de 5 m2, tendo sido ampliado em 2014 para 13 m2 e em 2015 foi reduzido para 8 m2.

Gestão de resíduos sólidos

A gestão de resíduos sólidos compreende ações voltadas para iniciativas técnicas, de gestão e administração. O CETEM, por ter sua missão focada na sustentabilidade da mineração no país, tem desenvolvido pesquisas científicas e capacitações que envolvem o reaproveitamento de resíduos, a mineração urbana, logística reversa e, mais recentemente, estudos voltados para uma área inovadora que é a economia circular.

É MISSÃO DO CETEM
"Desenvolver tecnologias inovadoras e sustentáveis e mobilizar competências visando superar desafios nacionais do setor mineral"
COM VISTAS À
"Ser o centro da excelência em P,D&I de tecnologia mineral, reconhecido por sua contribuição estratégica para o País"

Vista da escadaria de acesso ao CETEM –
lago principal e Auditório Prof. Roberto Villas-Bôas

Desde a publicação do Decreto 5.940 de 2006, o CETEM tem priorizado iniciativas relativas a coleta seletiva e gestão dos resíduos. Com a consolidação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, por meio da Lei nº 12.305 de 2010 e do Decreto nº 7.404 de 2010, as ações focadas na logística reversa e na gestão sustentável dos resíduos passou a ser considerada.

Desta forma, dentre as pesquisas realizadas no CETEM no âmbito de uma gestão sustentável dos resíduos, destacam-se: reaproveitamento de resíduos resultantes do beneficiamento de rochas ornamentais (como mármores e granitos) para incorporação em próteses, recuperação de terras raras a partir de resíduos eletroeletrônicos, recuperação de ouro a partir de placas de circuito impresso de computadores e recuperação de terras raras e outras substâncias a partir de lâmpadas fluorescentes.

Todos estes exemplos citados representam incremento tecnológico para a cadeia produtiva, bem como a recirculação de materiais com menor consumo energético, maior eficiência por meio de processamento de matéria-prima secundária e menor custo de produção. Minimizar os impactos da extração de recursos naturais, bem como sua substituição por insumos secundários ou residuais é um dos desafios que tem recebido significativa contribuição por meio das pesquisas e processos desenvolvidos no CETEM.

Descarte sustentável de lâmpadas

No mês de novembro de 2017 foi contratado o serviço de coleta, transporte, descontaminação e descarte final ecológico de lâmpadas fluorescentes tubulares, eletrônicas, mistas e vapor de mercúrio, inteiras e não inteiras, pela empresa Tramppo Brasil - Gestão Sustentável de Lâmpadas, sendo a seguinte quantidade:

  • 2.223 Lâmpadas fluorescente tubular de 40 w
  • 284 Lâmpadas fluorescente tubular de 20 w
  • 43 Lâmpadas do tipo mista de 500 w
  • 27 Lâmpadas do tipo mista de 160 w
  • 08 Lâmpadas do tipo vapor de mercúrio de 250 w
  • 42 Lâmpadas fluorescente eletrônicas compactas
Certificado de recebimento de lâmpdas para descontaminação e descarte
Clique na imagem para ampliar.

Ações e Iniciativas

A estruturação do programa CETEM sustentável configura como uma importante iniciativa institucional que suporta as ações de base para a manutenção do compromisso com a sustentabilidade. No entanto, as ações focadas no público interno e externo também são priorizadas como forma de manutenção das propostas apresentadas pelo programa.

Desta forma, em 2017 foram realizadas as seguintes ações:

  • Seminário sobre desenvolvimento sustentável e recursos minerais brasileiros – IBGE e CETEM
  • Seminário sobre avaliação de riscos à saúde humana e ao meio ambiente pela mineração - CETEM
  • Palestra sobre Indicadores de sustentabilidade para recursos naturais e sua utilidade para orientar políticas e ações governamentais - CETEM
  • Palestra sobre compras sustentáveis na administração pública – Parque Tecnológico da UFRJ e CETEM
  • Palestra sobre a ciência aberta e o desafio do desenvolvimento sustentável - CETEM
  • Campanha de educação sobre prevenção da dengue – Fiocruz e CETEM
  • Workshop sobre gestão de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos – CETEM

Outras iniciativas, de caráter permanente, merecem ser destacadas e seguem brevemente descritas.

Filtros de oxigenação dos lagos menores são alimentados com energia solar

Os dois lagos menores, além de receberem parte de água de chuva recolhida no telhado, também possuem filtros de oxigenação movidos à energia solar.


Vista dos lagos menores, com a bomba de oxigenação e os paineis solares

Resíduos das atividades de pesquisa

Em 2017 o Escritório de Gestão de Projetos – EGP identificou 171 projetos em andamento ou em fase inicial, sendo estes coordenados por 31 pesquisadores do CETEM. O Núcleo de Apoio à Gestão – NAG efetuou um questionário complementar, buscando identificar os projetos de pesquisa que geram resíduos e, em uma análise preliminar, buscou mapear a destinação de tais resíduos gerados.

Cabe destacar que 85% dos pesquisadores consultados responderam ao questionário, indicando uma alta aceitação à proposta.

Do total de 171 projetos, 55 geram resíduos significativos e computáveis.

- O CETEM é responsável pela destinação final dos resíduos de 34 projetos de pesquisa, sendo a maioria composta por projetos de fomento, pesquisas do Programa de Capacitação Institucional e de bolsas de iniciação científica.

- Em 8 projetos, todos de prestação de serviços a empresas, o material processado é devolvido à contratante.

Atualmente, os maiores volumes de resíduos sólidos gerados ocorrem no seu núcleo regional e são oriundos de pesquisas para o aproveitamento e desenvolvimento de ensaios de rochas ornamentais. Parte do material é encaminhado para aterros industriais licenciados, parte permanece no NRES para fins de pesquisa ou é doado a outras Instituições de Ensino. Os contratos, mesmo em caso de pesquisa de fomento, já contemplam os custos para a destinação final dos resíduos de rochas ornamentais.

A pesquisa, ainda qualitativa, permite apontar alguns direcionamentos da casa, sendo estes:

  • Determinar o volume de resíduos encaminhados à Estação de Tratamento de Efluentes - ETE do CETEM: Hoje a ETE encontra-se desativada, embora continue recebendo efluentes dos laboratórios, sendo necessário verificar seu estado de conservação bem como o atual passivo mantido.
  • Dar destinação a resíduos de pesquisas que antecedem a prática adotada a partir de 2014 para o estabelecimento de contratos ou parceria para a destinação de resíduos perigosos, além de ampliar a prática, de modo que mais projetos de fomento possam também contemplar valores para a destinação adequada dos resíduos. Hoje os projetos efetuados em parceria com empresas preveem o descarte dos resíduos. O mesmo não acontece com a maioria dos projetos de fomento, que repassam para o CETEM os custos de destinação final de seus resíduos. Como resultado, a área destinada a armazenagem de produtos sensíveis encontra-se em sua capacidade máxima de utilização.

Projetos em desenvolvimento no CETEM que estimulam a reciclagem e apresentam alcance socioambiental

  1. O projeto Caracterização Tecnológica e Beneficiamento de Minérios Urbanos, coordenado pelo pesquisador Otávio da Fonseca Martins Gomes, tem como objetivo a caracterização tecnológica de minérios urbanos, a fim de propor rotas tecnológicas para sua reciclagem. Para isso, métodos empregados na indústria mineral serão ajustados e modificados, e novos métodos serão desenvolvidos especificamente para a caracterização e o beneficiamento de placas de circuito impresso (PCIs). Foi aprovado no Edital FAPERJ Nº 04/2016 – Programa Apoio a Grupos Emergentes de Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro – 2016. Além de pesquisadores do CETEM, participam do projeto pesquisadores do Instituto de Matemática e Estatística da UERJ e do Depto. de Engenharia Química e de Materiais da PUC-Rio.
  2. Desenvolvimento de rotas bio-hidrometalúrgicas para compor a cadeia produtiva de terras raras baseada na reciclagem de lâmpadas fluorescentes. Projeto de fomento CETEM em fase inicial que objetiva a recuperação de TRs de lâmpadas fluorescentes. Pesquisadores: Ellen Cristine Giese, Marisa Nascimento, Ysrael Marrero Vera, Lúcia Helena Xavier, Reiner Neumann e Silvia Egler.
  3. Determinação de elementos de terras raras em lâmpadas fluorescentes utilizando a técnica de ablação a laser hifenado a espectrometria de massa com plasma indutivamente acoplado (LA-ICP-MS) – Projeto PCI em fase inicial que objetiva a caracterização de TRs em lâmpadas fluorescentes. Pesquisador: Manuel Carneiro.
  4. Aplicação de resíduos minerais em matrizes poliméricas – Projetos PCI e BIC que envolvem a utilização de resíduos minerais em próteses, papel braile, capacetes, pisos, óculos, brinquedos públicos, etc. Pesquisador: Roberto Carlos Ribeiro.
  5. Estudos de alteração de bens minerais tombados pelo Patrimônio Artístico e Histórico Nacional – Projetos PCI e BIC que dão suporte às atividades de restauro do IPHAN. Pesquisador: Roberto Carlos Ribeiro.
  6. Cultivo de oligoquetas para bioensaios – Projeto permanente no Laboratório de Ecotoxicologia Aplicada à Indústria Mínero-metalúrgica – LECOMIN que permite avaliar a biodisponibilidade de contaminantes inorgânicos em solos. A pesquisa, além do alcance ambiental, também gera como resíduo, húmus de alta qualidade que vem sendo utilizado nos jardins do CETEM. Pesquisadora: Silvia Egler.

Planilha de atividades

AtividadeDescriçãoImpactoResponsávelPrazo
Uso racional de recursos naturais
1. Substituição das lâmpadas Substituição das lâmpadas usuais por outras mais eficientes energeticamente Alto COADM Relatórios semestrais – jul/jan
2. Monitoramento do consumo de energia Monitoramento do consumo de energia Alto COADM Relatórios anuais - 3º trimestre
3. Monitoramento do consumo de água Monitoramento do consumo de água Alto COADM Relatórios anuais - 3º trimestre
4. Aperfeiçoar o sistema hidráulico do CETEM Conceber um projeto para adequação da rede hidráulica do CETEM com o objetivo de otimizar o consumo das áreas comuns e ampliar a captação da água da chuva para uso em descargas, jardins e abastecimento dos lagos do Centro Alto COADM Aguardando a entrada de recurso orçamentário
5. Aperfeiçoar o sistema elétrico do CETEM Conceber um projeto para adequação da rede elétrica do CETEM com o objetivo de otimizar o consumo das áreas mais sensíveis e estimular o uso de energia oriunda de fontes renováveis Alto COADM Aguardando a entrada de recurso orçamentário
Gestão de resíduos
6. Coleta seletiva Manutenção da coleta seletiva solidária Alto Comissão de Coleta Seletiva Solidária Relatórios anuais - 3º trimestre
7. Resíduos de pesquisa Mapeamento de resíduos oriundos de projetos de pesquisa Alto Escritório de Gestão de Projetos Relatórios anuais - 3º trimestre
8. Destinação de resíduos perigosos Estabelecimento de contratos ou parceria para a destinação de resíduos perigosos Alto COADM Nos fechamentos de contratos
Sensibilização e capacitação
9. Campanhas de sensibilização Palestras e informes sobre o consumo de recursos e formas de promover economia Médio SEGRH/COADM Relatórios semestrais – jul/jan
10. Palestras sobre saúde Realização de palestras sobre saúde e qualidade de vida Médio SEGRH/COADM Relatórios semestrais – jul/jan
Qualidade de vida no ambiente de trabalho
11. Ioga Disponibilização de espaço para a atividade Médio COADM Todo o ano - duas vezes por semana
12. Futebol Disponibilização de espaço para a atividade Médio COADM Todo o ano - uma vez por semana
13. Dança de salão Disponibilização de espaço para a atividade Médio COADM Todo o ano - duas vezes por semana
14. Confraternizações Disponibilização de espaço para a atividade Médio COADM Nas principais datas comemorativas
15. Aulas de idiomas Disponibilização de espaço para a atividade Médio COADM Todo o ano - duas vezes por semana
Licitações sustentáveis
16. Elaboração de termos de referência Elaboração de termos de referência considerando os critérios de sustentabilidade Médio COPGA Relatórios semestrais - jul/jan
17. Elaboração de editais sustentáveis Ações em prol da elaboração e publicação de editais sustentáveis Alto COADM Relatórios semestrais - jul/jan
Ações e iniciativas
18. Reciclagem na pesquisa Dar suporte aos projetos iniciados no CETEM que atuem na caracterização, análise e desenvolvimento de métodos de reciclagem e recuperação de materiais contidos em lâmpadas fluorescentes, pilhas e outros. Alto DIR Relatórios anuais - 3º trimestre
19. Estímulo a projetos de pesquisa que fomentem a responsabilidade socioambiental Dar suporte aos projetos iniciados no CETEM com foco na aplicação de resíduos minerais em matrizes poliméricas (próteses, papel braile, capacetes, pisos, óculos, brinquedos públicos etc); e estudos de alteração de bens minerais tombados pelo Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (IPHAN). Alto DIR Relatórios anuais - 3º trimestre

Boletim CETEM Sustentável

Comissão

ColaboradoresUnidade Organizacional
Ana Carolina P. de Araújo Souza NAG/COPGA
Diego Rufino NCS/COPGA
Durval Costa Reis COADM
Grace Maria de Britto SEMEB/COCPT
Hannah Mendonça Pires da Luz NAG/COPGA
Jefferson Ricardo de Moura Lopes COADM
Lucia Helena da Silva Maciel Xavier COCPT
Luciana Marelli Mofati NAG/COPGA
Milena Basílio CONES
Roberto Carlos da Conceição Ribeiro COCPT
Robson Araújo D’ Àvila COPGA
Silvia Egler SEMEB/COCPT

E-mail: cetem-info@cetem.gov.br

Fim do conteúdo da página