Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Caracterização Tecnológica
Início do conteúdo da página

Laboratório Multiusuário de Caracterização Tecnológica (LMCT)

Publicado: Terça, 07 de Fevereiro de 2017, 16h41 | Última atualização em Quarta, 08 de Fevereiro de 2017, 14h42 | Acessos: 1909

O Laboratório Multiusuário de Caracterização Tecnológica do CETEM foi criado em 2003 e destina-se a gerar métodos de análise e dados científicos confiáveis e úteis ao desenvolvimento e adequação de tecnologia nas áreas mínero-metalúrgica e de materiais. Foi em 2003 que o Setor de Caracterização Tecnológica (SCT) da Coordenação de Análises Minerais (COAM) passou a ser denominado Laboratório Multiusuário de Caracterização Tecnológica. Ocupa uma área de 380 m2, e está subdividido em laboratórios de: preparação de amostras minerais; preparação de seções polidas e lâminas; microscopia eletrônica; microscopia ótica e análise de imagens; espectroscopias vibracionais; difratometria de raios-X; análise térmica; além de oficina e almoxarifado.

O acesso aos equipamentos para fins científicos e tecnológicos é, essencialmente, gratuito. Todos os usuários do laboratório são conclamados, no entanto, a incluir em suas solicitações de verbas (para agências, empresas ou outras) recursos para manutenção, atualização e materiais de consumo dos equipamentos mais diretamente utilizados nas suas pesquisas. Os gastos correntes (energia elétrica, gases, reagentes, etc.) e a manutenção do espaço físico de instalação (atmosfera controlada, energia de qualidade, utilidades, interligação à rede lógica, etc.) e dos equipamentos em si são assumidos pelo SCT/COAM/CETEM. Para isso, são utilizados recursos próprios advindos da prestação de serviços tecnológicos, recursos orçamentários do CETEM e recursos de editais para manutenção de equipamentos multiusuários (FINEP, 2005; e FAPERJ, 2008 e 2014).

Nos últimos anos, pesquisadores e alunos de diferentes ICTs utilizaram o Laboratório Multiusuário de Caracterização Tecnológica: UFRJ, UERJ, EMBRAPA, UEZO, FIOCRUZ, UFCG, IME, PUC-Rio, UFRRJ e UFF, entre outras. Em 2015 foram realizadas cerca de 1100 análises na difração de raios-X, 570 horas no microscópio eletrônico de varredura e cerca de 50 análises no Malvern.

Responsável: Reiner Neumann

Conheça também outros laboratórios:    Pesquisas Gemológicas       Modelagem Molecular       Interações Superficiais Nanométricas

Fim do conteúdo da página